Qual é a melhor equação para calcular o gasto energético?

Qual é a melhor equação para calcular o gasto energético?

O padrão ouro para estimar a Taxa Metabólica Basal (TMB) é a calorimetria indireta (CI), porém ainda de acesso restrito a poucas clínicas e pacientes, sendo assim, devemos ter cautela ao decidir qual fórmula utilizar para estimar a TMB e Gasto Energético Total (GET) dos pacientes.

Entre tantas fórmulas existentes, alguns profissionais e estudantes ficam na dúvida em qual utilizar, pois na graduação, é apresentado de forma rasa e não tão clara a diferença entre as equações, ou então as fórmulas apresentadas limitam-se a fórmula de bolso ou Harris-Benedict que não são necessariamente as equações mais fidedignas para estimar a TMB em um atendimento individualizado.

Para a escolha da equação correta, primeiro devemos saber em qual público iremos aplica-la.

Em pessoas com obesidade, sobrepeso ou eutróficas, por exemplo, foi constatado em um estudo de 2005, a equação de Mifflin-St ser a mais adequada quando comparado as outras equações, tendo os valores aferidos na calorimetria indireta como referência.

Recentemente, em 2018, ao avaliarem a TMB de atletas fisiculturistas via calorimetria indireta, foi percebido que as equações existentes subestimavam o real gasto energético dos indivíduos, sendo criada pelos pesquisadores do estudo as duas fórmulas de Tinsley para esse público. (A fórmula de Cunninghan também apresentou pouca margem de erro em atletas).

Nesses públicos citados acima, a de Harris-Benedict exibiu alta margem de erro, porém, quando utilizada em pacientes com transplante hepático, ela apresentou ser a mais fidedigna (PINTO, 2016).

A escolha da equação é um passo muito importante antes do desenvolvimento do planejamento dietético, quanto mais próximo do valor real for a fórmula, mais preciso será o planejamento dietético para aquele indivíduo.

Referências

FRANKENFIELD, David; ROTH-YOUSEY, Lori; COMPHER, Charlene. Comparison of Predictive Equations for Resting Metabolic Rate in Healthy Nonobese and Obese Adults: A Systematic Review. Journal Of The American Dietetic Association, [s.l.], v. 105, n. 5, p.775-789, maio 2005.

TINSLEY, Grant M.; GRAYBEAL, Austin J.; MOORE, M. Lane. Resting metabolic rate in muscular physique athletes: validity of existing methods and development of new prediction equations. Applied Physiology, Nutrition, And Metabolism, [s.l.], v. 44, n. 4, p.397-406, abr. 2019.

PINTO, Andressa S. et al. ESTIMATING BASAL ENERGY EXPENDITURE IN LIVER TRANSPLANT RECIPIENTS: THE VALUE OF THE HARRIS-BENEDICT EQUATION. Abcd. Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva (são Paulo), [s.l.], v. 29, n. 3, p.185-188, set. 2016.

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Agendar Horário